Lilica, uma lição de solidariedade

 

A cadela Lilica mora em um ferro-velho em São Carlos, interior de São Paulo. Ela divide espaço com outro cão, um gato, um galo, uma galinha e até com uma mula. Todos esses animais têm o jantar garantido porque a Lilica é um exemplo de solidariedade.

 

Quando começa a anoitecer a cadela cumpre rigorosamente a sua missão. Ela anda cerca de dois quilômetros da rodovia até o outro lado da cidade, perto da casa da professora Lúcia Helena, que cria 13 cachorros e 30 gatos. Depois de alimentar os animais da casa, a professora prepara outra marmita e vai até a esquina esperar Lilica. O ritual já dura há três anos.

Depois de comer uma parte da comida dada por Lúcia, a cadela Lilica espera que a sacola seja fechada e a recolhe cuidadosamente. O destino é novamente o fero-velho. Quando ela chega o outro cão, o gato, o galo, a galinha e até a mula têm o que comer.

O que impressiona nessa história é o exemplo de caridade, é claro. Mas devemos prestar atenção também na pontualidade da cadela Lilica. Isso ocorre, porque o instinto da cadela é materno é de liderança. Ou seja, ela se sente responsável pelos outros animais do ferro-velho. Mesmo com comida em casa, ela não vai mudar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *